Beco do Jacques – Casas daquele tempo

Eu fazia um caminho fora do meu usual, percorrendo a Duque de Caxias para ganhar novamente a encosta sul do centro histórico de Porto Alegre. Normalmente, eu desceria pela íngreme rua Marechal Floriano, outrora Rua de Bragança, mas uma passagem marcada por guarda-corpos metálicos me chamou atenção. Era a entrada do antigo Beco do Jacques, mais conhecida atualmente como rua 24 de Maio.

Entrei por ali, encontrando uma curiosa travessa tomada por escadarias e guarda-corpos, respiro do trânsito onipresente da cidade. Conhecendo um pouco da história do lugar, comecei a procurar algum resquício dos seus tempos de beco. E o que vi foram as casas registradas nas fotos que seguem: exemplares típicos da arquitetura residencial do fim do século XIX e início do século XX, quiçá anteriores. A primeira, em ruínas (figs. 1 a 5) parece ter sido a mais suntuosa, com ares mesmo de palacete. Teria sido aquele trecho murado à esquerda da fachada outrora uma entrada lateral, como nas então “modernas” construções*:

Fig01_24demaio_escadaria
fig. 1

 

Fig02_24demaio_escadaria_subida
fig. 2

 

Fig03_24demaio_escadaria_3
fig. 3

Fig04_24demaio_35

Fig05_24demaio_escadaria_1
fig. 4

 

 

As duas outras, mais próximas à esquina com a avenida André da Rocha, trazem uma pista: uma (figs. 6 a 8) delas tem a data de construção na própria fachadas, como era costume à época: 1926. Trata-se de uma típica casa de porta e duas janelas, ocupando de lado a lado o terreno, o que é característico das casas nas cidades coloniais portuguesas. É uma forma de construir bastante antiga, e assim presente nas áreas da cidade onde se deram as primeiras ocupações. Mas seria uma casa construída em 1926? Ou uma mais antiga com uma fachada renovada datando daquele ano?

Fig05_24demaio_escadaria_1
fig. 5
Fig06_24demaio_escadaria_2
fig. 6
Fig07_24demaio_escadaria_98_1
fig. 7
Fig08_24demaio_escadaria_98_detalhe
fig. 8

E a outra casa ao seu lado? Seria uma contemporânea sua com uma fachada mais moderna, em estilo art déco**?

De qualquer modo, todas as três têm cara de quem conheceu a rua 24 de Maio ainda como Beco do Jacques…

* As casas em estilo eclético do final do século XIX e início do XX tinham por característica uma entrada lateral, não ocupando o terreno de lado a lado, como as casas coloniais. Tinham assim uma ventilação e iluminação melhores, sendo consideradas “modernas” e “higiênicas”, ao passo que as construções da época colonial eram consideradas “insalubres” pelos seus espaços confinados.

** Estilo artístico e arquitetônico que se popularizou mais nos anos 1930 e 1940 no Brasil. Caracteriza-se por linhas retas, sóbrias e ornamentação geométrica comedida.

2 comentários

  1. Lis

    Obrigado por preservar nossa historia.Tenho uma pergunta e uma historia. No beco do Jacques viverao as prostitutas Francesas e Argentinas?

    Curtir

    1. Beco do Rosário

      Oi Lis! Muito obrigada. Não tenho informações específicas sobre essas prostitutas estrangeiras que aportavam por aqui vivendo nesse beco, mas sim de que os arredores eram pródigos em casas de prostituição (notadamente o Beco do Oitavo). É bem possível que algumas delas tenham vivido ali.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s